A MENTE QUE SE ABRE A UMA NOVA IDEIA JAMAIS VOLTARÁ AO SEU TAMANHO ORIGINAL.
Albert Einstein

segunda-feira, 6 de agosto de 2012

Lei de Coulomb (II)

Borges e Nicolau

Lei de Coulomb

A intensidade da força de ação mútua entre duas cargas elétricas puntiformes é diretamente proporcional ao produto dos valores absolutos das cargas e inversamente proporcional ao quadrado da distância que as separa.



k: constante eletrostática do meio onde estão as cargas.

No vácuo:


Exercícios básicos

Exercício 1:
Duas partículas eletrizadas com cargas elétricas Q e 4Q estão fixas em pontos A e B, situados a uma distância D. No ponto C, a uma distância d de A, coloca-se outra partícula eletrizada com carga elétrica q e observa-se que ela fica em equilíbrio sob ação de forças eletrostáticas somente. Determine a relação d/D.



Exercício 2:
Três partículas eletrizadas com cargas elétrica Q, 2Q e 3Q estão fixas nos pontos A, B e C, conforme a figura. Seja F a intensidade da força eletrostática que B exerce em C. Qual é, em função de F, a intensidade da força eletrostática que A exerce em C?



Exercício 3:
Três partículas eletrizadas, A, B e C, estão fixas nos vértices de um triângulo equilátero de lado L = 30 cm. Determine a intensidade da força eletrostática resultante da ação A e B sobre C. Analise os casos:


Dados: Q = 1,0 μC e k0 = 9.109 N.m2/C2


Exercício 4:
Três partículas eletrizadas com cargas elétricas iguais a Q estão fixas nos vértices A, B e C de um quadrado. Uma quarta partícula eletrizada com carga elétrica q é fixada no vértice D. Para que a força eletrostática resultante sobre a partícula colocada em B seja nula, devemos ter:


a) q = Q
b) q = -Q
c) q = 2√2Q
d) q = -√2Q
e) q = -2√2Q


Exercício 5:
Seis partículas eletrizadas estão fixas nos vértices de um hexágono regular de lado
L = 30 cm, conforme mostra a figura. Sendo Q = 1 μC e k0 = 9.109 N.m2/C2, determine a intensidade da força eletrostática resultante que age numa partícula eletrizada com carga elétrica q = 10-8 C, colocada no centro do hexágono.





Exercício 1: resolução

FAC = FBC => k0.Q.q/d2 = k0.4Q.q/(D-d)2 => 1/d = 2/(D-d) => d/D = 1/3

Resposta: d/D = 1/3

Exercício 2: resolução

FBC = F = k0.2Q.3Q/d2 (1)
FAC = k0.Q.3Q/5d2 (2)

De (1) e (2), vem: FAC = F/10

Resposta: F/10

Exercício 3: resolução

a) F = k0.Q.Q/L2 => F = 9.109.1,0.10-6.1,0.10-6/(0,30)2 => F = 1,0.10-1 N



cos 30º = (Fresult/2)/F => 3/2 = (Fresult/2)/1,0.10-1 =>
Fresult = 1,0.3.10-1 N

b) O triângulo indicado abaixo é equilátero. Logo, Fresult = F = 1,0.10-1 N


Respostas:
a) 1,0.3.10-1 N

b) 1,0.10-1 N
 

Exercício 4: resolução



F = k0.Q.Q/d2 e F' = k0.IqI.Q/(d√2)2 => k0.IqI.Q/2d2

Para que a força resultante sobre a partícula colocada em B seja nula, devemos impor que:
F' = F.√2 => k0.IqI.Q/2d2 = (k0.Q.Q/d2).√2 => IqI = 2Q√2
q tem sinal oposto ao de Q. Logo, q = -2Q√2

Resposta: e

Exercício 5: resolução



F = k0.Q.q/L2 => F = 9.109.10-6.10-8/(0,30)2 => F = 10-3 N
Fresult = 4F = 4. 10-3 N

Resposta: 4.10-3 N

Nenhum comentário:

Postar um comentário