A MENTE QUE SE ABRE A UMA NOVA IDEIA JAMAIS VOLTARÁ AO SEU TAMANHO ORIGINAL.
Albert Einstein

quinta-feira, 30 de setembro de 2010

Albert Einstein e a teoria da relatividade



No estudo da Mecânica, a velocidade, por exemplo, é uma grandeza relativa, ou seja, sua medida depende do referencial do qual está sendo medido. Em conseqüência disso, outras grandezas que dependem da velocidade também são relativas como, por exemplo, a energia cinética e a quantidade de movimento. A energia potencial também é uma grandeza relativa, pois o seu valor (mgh) depende do referencial que se adota para medir a altura. Comprimento, massa e tempo são tidos como grandezas absolutas no estudo da Mecânica, mas também se tratam de grandezas relativas. No entanto, a relatividade dessas grandezas só evidencia-se quando no estudo de situações em que se têm velocidades muito elevadas, ou seja, não desprezíveis se comparadas com a velocidade da luz no vácuo, que é aproximadamente 3,0 x108 m/s.

O Início da Teoria da Relatividade

A teoria da relatividade foi uma revolução para o século XX, pois ela provocou inúmeras transformações em conceitos básicos como também proporcionou que fatos importantes, ainda não explicáveis, pudessem ser explicados. Essa teoria surgiu com o físico alemão Albert Einstein. Nascido em Ulm, Einstein foi físico e pesquisador muito conhecido por ter proposto a teoria da relatividade, mas também foi ele quem explicou corretamente o efeito fotoelétrico, fato esse que possibilitou o desenvolvimento da bomba atômica, mesmo sem ele saber para quais fins se destinava.

A teoria da relatividade é composta de duas outras teorias: Teoria da Relatividade Restrita, que estuda os fenômenos em relação a referenciais inerciais, e a Teoria da Relatividade Geral, que aborda fenômenos do ponto de vista não-inercial. Apesar de formar uma só teoria, elas foram propostas em tempos diferentes, no entanto ambas trouxeram o conhecimento de que os movimentos do Universo não são absolutos, mas sim relativos.

A teoria da relatividade restrita foi construída por Einstein a partir de dois importantes postulados:

1ª – Postulado da Relatividade: as leis da Física são as mesmas em todos os sistemas de referência inercial.

2ª – Postulado da Constância da Velocidade da Luz: a velocidade da luz no vácuo tem o mesmo valor para qualquer referencial inercial, ou seja, c = 300 000 km/s.

A Relatividade no Cotidiano

A relatividade pode não ser um assunto muito comum no dia-a-dia, mas ela faz parte do nosso cotidiano. Quando aproximamos da velocidade da luz tudo muda, nesse sentido a relatividade é muito importante. Não é possível ver como que isso ocorre utilizando carros e aviões, mas as partículas subatômicas podem se movimentar muito rápido, podendo alcançar velocidades bem próximas à velocidade da luz.

Um instrumento muito comum na atualidade utiliza mecanismos advindos da relatividade para determinar com alta precisão a posição na Terra, esse é o chamado GPS. Encontrado em celulares de última geração, esse instrumento depende de 24 satélites ao redor da Terra para a determinação correta da posição, mas se não fosse a relatividade todas as medidas estariam erradas. Os cálculos e correções relativísticos são necessários em conseqüência da velocidade dos satélites, aproximadamente 14 mil km/h. Essa velocidade é realmente pequena se comparada com a velocidade da luz, mas mesmo assim os cálculos são necessários. O aparelho de GPS está cada vez mais presente em nosso cotidiano, seja no avião, nos automóveis, navio, em muitos lugares podemos encontrá-lo. Caso não fossem calculados os efeitos da relatividade, poderiam acontecer grandes desastres.

Veja tambem: http://fisikanarede.blogspot.com/2011/01/testando-teoria-da-relatividade-de.html

terça-feira, 28 de setembro de 2010

As 10 + do Enem - Mudanças implantadas em Cuba




Cuba liberta presos políticos

Pressionada por autoridades internacionais, a ditadura cubana decidiu libertar 52 presos políticos no período entre julho e outubro de 2010. O primeiro grupo, composto por 11 dissidentes e seus familiares, chegou à Espanha entre os dias 12 e 15 de julho, onde os exilados foram recebidos como imigrantes comuns.

Direto ao ponto: Ficha-resumo

De acordo com dados da Comissão Cubana de Direitos Humanos, órgão independente que não é reconhecido pelo governo comandado pelo ditador Raúl Castro, a ilha possui 167 presos políticos, o menor número desde a Revolução Cubana, em 1959. Portanto, se todos os 52 forem soltos, restarão ainda 115 pessoas encarceradas por crimes de consciência.

Desde 1998, quando 101 presos foram postos em liberdade, por ocasião da visita do papa João Paulo 2º, não se libertava em Cuba um grupo tão numeroso.

O anúncio da libertação foi feito em 7 de julho, pelo Arcebispado de Havana. As negociações com o governo foram intermediadas pelo cardeal Jaime Ortega e pelo ministro espanhol de Assuntos Exteriores, Miguel Ángel Moratinos.

Todos os presos beneficiados com a medida fazem parte do "Grupo dos 75", constituído por 75 dissidentes presos em março de 2003 durante a "Primavera Negra", como ficou conhecido um dos muitos períodos de severa repressão. Eles foram processados por atividades subversivas e condenados a penas que variam de 14 a 27 anos de prisão. Alguns deles já haviam sido libertados por apresentarem graves problemas de saúde.

Greve de fome

A pressão internacional começou após a morte de Orlando Zapata Tamayo, ocorrida no dia 23 de fevereiro de 2010, após 85 dias em greve de fome. Zapata tinha 42 anos e era um dos mais importantes dissidentes políticos do "Grupo dos 75". Ele jejuava em protesto contra as condições desumanas dos cárceres de Havana.

No dia seguinte à morte de Zapata, outro detento, Guillermo Fariñas, iniciou greve de fome em homenagem ao companheiro e para pedir a libertação de outros 26 presos políticos que estavam doentes. À época, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva, em visita oficial a Cuba, foi criticado por não se solidarizar com os ativistas e por compará-los a presos comuns.

Fariñas interrompeu o jejum de alimentos sólidos e líquidos, mantido por 134 dias, depois que o presidente Raúl Castro se comprometeu a soltar os 52 presos. Mesmo assim, de acordo com os médicos que o acompanham, ele corre risco de morrer em decorrência de complicações associadas ao período de abstinência. "O primeiro gole de água que deu depois de tanto tempo provocou em seu ressecado esôfago a sensação de uma língua de fogo que o queimava por dentro", disse Yoani Sánchez em seu blog, o Generatión Y .

Adversário histórico

O governo dos Estados Unidos, histórico opositor do regime castrista, aprovou a operação que beneficia cubanos reconhecidos como presos de consciência pela Anistia Internacional. Segundo Philip Crowley, porta-voz do Departamento de Estado americano, foi um "acontecimento positivo" e "um avanço para um respeito maior aos direitos humanos e às liberdades fundamentais em Cuba".

A imprensa internacional, porém, foi cética quando a uma eventual abertura do regime comunista, em vigor desde que Fidel Castro, Che Guevara e o Exército Rebelde tomaram a capital em 1º de janeiro de 1959, depondo o ditador Fulgencio Batista.

Em abril de 1961, os Estados Unidos fizeram uma tentativa frustrada de invasão na Baía dos Porcos, em Cuba, aumentando a tensão com a antiga União Soviética. O episódio foi um dos mais emblemáticos da Guerra Fria (1945-1989). Nas décadas seguintes, Washington impôs um embargo comercial à ilha, cujo regime comunista resistiu até mesmo ao esfacelamento da União Soviética e à abertura econômica na China.

Fidel deixou a presidência em 2006, passando o cargo a seu irmão, Raúl Castro. Os diálogos visando a suspensão do bloqueio foram retomados com a chegada de Barack Obama à Casa Branca. Os americanos exigem, como contrapartida ao fim do embargo, avanços na área de direitos humanos.

Próximos da lista

Os 11 presos que chegaram à Espanha fazem parte de uma primeira leva de 20 dissidentes que foram autorizados a deixar o país. Outros seis cubanos consultados pela Igreja Católica decidiram permanecer em Cuba após serem soltos. O governo cubano, contudo, não ofereceu garantias de que eles não sofrerão represálias.

Segundo o Ministério das Relações Exteriores da Espanha, os exilados não receberam status de asilados políticos para que possam trabalhar no país. Outros ativistas, que continuam em Cuba, acreditam que essas medidas sejam os primeiros passos para reformas políticas.

Resumão:

A ditadura cubana decidiu libertar 52 presos políticos nos meses de julho a outubro de 2010. O anúncio da soltura foi feito em 7 de julho. As negociações foram intermediadas pela Igreja Católica cubana e pelo governo espanhol. O primeiro grupo, composto por 11 dissidentes e seus familiares, chegou à Espanha entre os dias 12 e 15 de julho.

Todos os presos beneficiados com a medida fazem parte do "Grupo dos 75", composto por 75 dissidentes presos em março de 2003 durante a "Primavera Negra". Eles foram processados por atividades subversivas e condenados a penas que variam de 14 a 27 anos de prisão.

A pressão internacional pela libertação começou após a morte de Orlando Zapata Tamayo, ocorrida no dia 23 de fevereiro de 2010, após 85 dias em greve de fome. No dia seguinte à morte de Zapata, outro preso político, Guillermo Fariñas, iniciou greve de fome, só suspensa após o comunicado oficial de que os ativistas seriam colocados em liberdade.

segunda-feira, 27 de setembro de 2010

::: Erastónes: quem disse que a Terra é plana ? :::

Amigos, segunda é dia de estudo do Prof.Dulcidio Braz Júnior, então vamos lá...



Eratóstenes (século III a.C.), quando foi diretor da Grande Biblioteca de Alexandria (antigo Egito), leu num papiro que, em Siena, cidade próxima à primeira catarata do Nilo, ao meio-dia do dia 21 de junho, varetas retas e verticais não produziam sombra da mesma forma que as colunas dos templos ou qualquer outra edificação vertical.

É só pensar um pouco e concluímos que a ausência de sombra significa que o Sol neste dia, nesta hora e nesta cidade está a pino, certo? Mas, será que quando o Sol está a pino num lugar necessariamente também deve estar a pino em qualquer outro lugar naquela mesma hora?

Eratóstenes resolveu testar com as próprias mãos. Esperou o dia 21 de junho e, em Alexandria, distante de Siena, exatamente ao meio-dia, repetiu o experimento. E descobriu que a vareta vertical em Alexandria tinha sombra!

O que este experimento simples nos permite concluir? Para responder, mais uma vez (e sempre!) precisamos de uma boa pitada de imaginação. Antes de mais nada, como o Sol está muito distante da Terra, vamos considerar que os seus raios que atingem nosso planeta são paralelos(*). Feita esta consideração sobre o paralelismo dos raios solares, apresentamos duas hipóteses:

1 - A Terra é plana
Se num determinado lugar (Siena, por exemplo), uma vareta vertical não tem sombra, então, em qualquer outro lugar da superfície plana da Terra (Alexandria, por exemplo), qualquer vareta vertical também não terá sombra. O Sol estará sempre a pino, em todos os pontos da Terra, como pode ser visto na figura abaixo.



E, se houver sombra da vareta num dado lugar, noutro lugar qualquer também haverá sombra, e do mesmo tamanho, como na próxima figura.



2 - A Terra é redonda
Agora, considerando a superfície curva da Terra, é possível não haver sombra num local (Siena, por exemplo), com Sol a pino, mas haver sombra em outro lugar (Alexandria, por exemplo), longe dali, onde o Sol não está a pino. E mais uma vez temos uma figura para facilitar a visualização da idéia.



Eratóstenes pensou e concluiu que a Terra era esférica (hipótese 2), três séculos antes de Cristo!

Mas, como se não bastasse esse grande feito, Eratóstenes ainda usou o experimento descrito acima para estimar o valor da circunferência da Terra. Veja só que outra idéia genial!



Eratóstenes imaginou que o prolongamento das duas varetas verticais em Siena e em Alexandria deveria encontrar-se no centro C da Terra esférica, formando um ângulo b. Observando bem a figura ao lado baseada na idéia de Eratóstenes, dá para perceber que os ângulos a e b são alternos, ou seja, têm a mesma medida.

Mas o ângulo a está dentro do triângulo retângulo formado pela vareta, pela sombra dela no chão e por um raio de Sol. Usando seus conhecimentos de geometria plana, Eratóstenes determinou este ângulo e obteve a = 7,2 Graus. Concluiu, então, que b = a = 7,2 Graus.

E logo imaginou o seguinte: o arco de circunferência SA (distância entre Siena e Alexandria) está para 7,2 graus assim como a circunferência total l da Terra (perímetro do nosso planeta) está para 360 graus.

Matematizando:



Note que, pela expressão acima, que sintetiza a idéia de Eratóstenes, se ele soubesse o valor do arco SA poderia facilmente descobrir o valor do perímetro l da Terra. Mas ele não sabia a distância entre as duas cidades.

Mas resolveu de um modo no mínimo diferente: contratou um homem para ir a pé de Alexandria a Siena contando os passos entre as duas cidades. Quando o homem voltou, revelou o número de passos dados entre as duas cidades. Medindo o valor do passo médio do homem, Eratóstenes estimou que a distância entre Siena e Alexandria era de cerca de 800 km. Substituindo esse valor na expressão acima teremos:



Eratóstenes conseguiu medir a circunferência l da Terra como sendo algo em torno de 40.000 km.

Com este valor, nós podemos estimar o raio R do planeta lembrando que o comprimento da circunferência mede 2.pi.R, ou seja:



Encontramos um valor de 6.369 km para o raio da Terra, bem próximo do que conhecemos hoje por medidas muito mais precisas.

O feito de Eratóstenes é uma prova histórica de que, pelo menos três séculos antes de Cristo, já se sabia que nosso planeta era esférico. Mas é claro que as notícias naquela época não corriam o mundo como hoje. Muitos outros povos demoraram ainda muito tempo para tomar conhecimento deste fato e, em plena Idade Média, ainda havia gente acreditando que a Terra era plana. E vai saber se ainda hoje não tem!

domingo, 26 de setembro de 2010

A semana na Ciência

Amigos, estamos chegando próximo da 100ª postagem; obrigado pelas 640 visitas contadas à partir do domingo passado. Nos ajude a escolher um novo nome para o blog no link postado. Boa semana.

A semana 1 - arqueologia do ar

Pesquisadores montam estrutura na Amazônia para entender como era a atmosfera antes da revolução industrial


Cientistas do Brasil, da Alemanha e dos EUA montaram uma torre de 40 metros em plena Floresta Amazônica para coletar algo raro no nosso planeta: ar 100% livre de poluentes. O estudo vem sendo desenvolvido há 25 anos pela Universidade de São Paulo (USP) e tem a parceria com o Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia (Inpa), a Universidade de Harvard, nos EUA, e o Instituto Max Planck, da Alemanha.

“Além da Antártida, a Amazônia é o único local no planeta onde podemos observar o ar exatamente como ele era há 200, 300 anos”, afirma o pesquisador do laboratório de física da atmosfera do Instituto de Física da USP, Paulo Artaxo, que coordena o projeto. Sem os poluentes encontrados nos centros urbanos, que acabam impedindo uma visão clara do mecanismo de formação e condensação das nuvens, os cientistas podem ter uma ideia de como a nossa atmosfera era antes da revolução industrial e saber como as partículas se comportam sem a presença de poluentes.

O ar limpo da Amazônia vai servir como uma espécie de “grupo de controle” para determinar os efeitos que a poluição e outras mudanças causadas pelo homem podem ter no meio ambiente. “Para fazer previsões de clima do futuro, precisamos compreender o clima do passado”, diz Artaxo. A principal descoberta nesse contexto diz respeito à composição das nuvens. Os cientistas conseguiram medir o tamanho da influência da floresta no clima. De acordo com o estudo, as plantas emitem micropartículas na atmosfera que são diretamente responsáveis pela formação das nuvens.

DESBRAVADORES
Uma torre de 40 metros foi instalada para coletar partículas aéreas na floresta


“A floresta altera o clima e o clima altera a floresta, o que já era de certa forma conhecido. Mas agora conseguimos medir isso de maneira física, biológica e química”, explica o pesquisador da área de química ambiental da Universidade de Harvard, Scot Martin. Isso também ajuda a compreender a gravidade dos danos causados pela ação humana. A alta atividade biológica controlando processos atmosféricos da região Amazônica mostra que os seres vivos de nosso planeta de certo modo moldam o meio ambiente de acordo com suas necessidades. Mas, quando a poluição industrial domina, esses mecanismos são suprimidos.

Um dos gases encontrados no ar da floresta foi o aerossol. Ali, a substância não tem o papel de vilão atribuído por quem está acostumado a evitar as latas de spray de CFC (clorofluorcarboneto). Isso porque na atmosfera da floresta a concentração é 100 vezes menor do que nos centros urbanos, e a substância acaba contribuindo no processo de formação das gotículas que compõem as nuvens.




A semana 2 - Roupa íntima

Estilista e engenheiro se unem para produzir um tecido com spray que compõe camisetas e que pode se transformar numa forma eficaz de tratar ferimentos.

À FLOR DA PELE
Estilista fabrica camiseta com spray; peça é a primeira do tipo que é reutilizável


O evento Spray-on Fashion, realizado na semana passada em Londres, tem pelo menos uma diferença fundamental com qualquer outro desfile de moda no mundo: nenhuma das roupas apresentadas precisou de agulha e linha para ser confeccionada. Antes de se tornarem a última tendência da moda, eram nada mais do que um líquido branco que, aplicado em forma de spray no corpo dos modelos, se transformou em tecido. A criação é do estilista espanhol Manel Torres, em parceria com o engenheiro químico Paul Luckham, do Imperial College, da capital inglesa. É o primeiro invento do tipo que, depois de lançado sobre o corpo, pode ser lavado e vestido novamente.

O líquido é composto por pequenas fibras misturadas a um solvente e dispersas em spray, por uma lata ou por um compressor. As fibras são misturadas com um polímero que as une umas às outras, formando um tecido. Para variar a textura, basta usar diferentes fibras como as sintéticas, lã ou linho. O líquido sai do recipiente numa temperatura muito baixa, por isso seca assim que toca a pele. A desvantagem é que isso impossibilita que ele seja usado em calças ou peças mais elaboradas.
“Eu queria um material futurista, sem costura, rápido de obter e confortável”, disse Torres ao jornal inglês “The Guardian”. Numa demonstração, ele produz uma camiseta masculina em 15 minutos. O estilista-cientista conta ainda que se inspirou em tecidos antigos como feltro, produzidos ao manter fibras unidas sem costurá-las.

As roupas mostradas em Londres são uma propaganda. O objetivo de Torres e Luckham é usar a tecnologia principalmente para fins médicos, tanto que eles fundaram uma empresa para comercializar o produto, a Fabrican Ltd. A ideia é que o spray possa ser usado como uma bandagem inteligente. Ele seria e aplicado diretamente no ferimento, sem a necessidade de fazer pressão sobre uma pele queimada, por exemplo, muito sensível e sujeita a infecções. Além disso, medicamentos poderão ser misturados à fórmula. É o fim do kit esparadrapo e gaze.




A semana 3 - "Cientistas explicam milagre de Moisés"


Dois pesquisadores americanos deram base científica a uma das mais conhecidas passagens da “Bíblia”: aquela que se refere à suposta abertura do mar para que o profeta Moisés e seus seguidores conseguissem atravessá-lo na fuga do Egito. Diz o Antigo Testamento que nesse momento soprava “um forte vento do leste”. Pois bem: Carl Drews, do Centro Nacional de Pesquisas Atmosféricas dos EUA, e Weiqing Han, da Universidade do Colorado, mergulharam anos a fio no estudo desse fenômeno. Asseguram que ventos de mais de 100 km/h varreram a desembocadura do rio Nilo por 12 horas consecutivas, abrindo uma passagem de cerca de 3,2 km de comprimento e quase 5 km de largura – foi por aí que o povo passou, segundo a “Bíblia”, em 1250 a.C. Detalhe importante: os cientistas garantem que não foi o mar Vermelho que se abriu, mas um grande e raso braço do rio Nilo – com somente dois metros de profundidade, a ponto de os ventos “empilharem” a água.

sábado, 25 de setembro de 2010

OBF 2010 - As feras estão soltas...

OBF 2010 - Segunda Fase



Aconteceu hoje, em todo o território nacional, a segunda fase da OBF - Olimpíada Brasileira de Fìsica, evento oficial da SBF - Sociedade Brasileira de Fìsica.

Mais uma vez, alunos do nono ano do ensino fundamental até a terceira série do ensino médio toparam o desafio e, em pleno sabadão à tarde, realizaram a instigante tarefa de encarar uma prova de Física no espírito de, independente de resultados, aprender mais!

E alguns dos nossos alunos também entraram no espírito olímpico e foram para a UFAM à tarde, das 13h às 17h, para a alegria deste professor do Wellington, Petillo e Fabrício!

Meus alunos em ação na OBF 2010 - segunda fase

A OBF seleciona anualmente os melhores alunos de Física do Brasil para compor as equipes que vão defender o país nas olimpíadas internacionais de Física: OIbF - Olimpíada Ibero Americana de Fìsica e IPhO - International Physics Olympiad.

Vale destacar que o Brasil foi o campeão nas últimas duas edições (2008 e 2009) da OIbF na qual participam países da América Latina mais Portugal e Espanha. Entre 26 de setembro e 02 de outubro de 2010 acontecerá a 15a. edição da OIbF/Panamá. Estamos na torcida por mais uma atuação brasileira de alto nível. A nossa equipe deste ano é composta pelos alunos Danilo Silva de Albuquerque (Fortaleza/CE), Elder Massahiro Yoshida (São Paulo/SP), Lucas Colucci C. de Souza (São Paulo/SP) e Matheus Barros de Paula (Taubaté/SP).

Desde o ano 2000 o Brasil participa da concorridíssima IPhO. O os resultados também têm sido bastante animadores, prova inconteste de que o ensino de Fìsica no Brasil, que já progrediu bastante nos últimos anos, ainda tem muito espaço para crescer em qualidade. Basta investir pesado e incentivar cada vez mais alunos para encararem o desafio. Este é o trabalho de todos, desde a cúpula da SBF até os professores de cada escola pública ou particular do Brasil.

Em 2010, em Zagreb, Croácia, todos os integrantes da equipe brasileira foram agraciados com medalhas. A equipe foi composta pelos alunos Cássio dos Santos Sousa (SP), Filipe Rudrigues de Almeida Lira (PE), Gustavo Haddad Francisco e S. Braga (SP), Rodrigo Alencar (CE) e Rodrigo Silva(SP).

Professores e alunos da equipe brasileira na IPhO 2010

Quanto melhor é a participação do nosso país nas olimpíadas internacionais de Física, mais nos sentimos na responsabilidade de continuarmos crescendo. E isso é desafiador! É o combutísvel para sermos cada vez melhores!

Está é a turma campeã da etapa nacional da última OBF

Laura


Carol


Gabriel


Mestre Pedro e o Micrinho


Professor Pedro é o idealizador deste projeto; sentimos sua falta hoje, corragem, Deus controla todas as coisas e está com o senhor. Sucesso em seu tratamento, estamos em oração.

Um abraço a todos,espero que em um futuro próximo vocês estejam nestas carteiras como alunos da graduação. Kleber.

As feras...

ALINE MARIANA SILVA CANDIDO
ANA KAROLINA COSTA SOUZA
BRUNO LEONARDO PONTES CABRAL
CESAR ANDRE RODRIGUES ESTEVES
DIANA COGO FILO ROCHA
FELIPE GUEDES DE OLIVEIRA KUCERA
GABRIEL AKEL ABRAHÃO
GABRIEL LUCAS ANDRADE DE SOUSA
GIOVANNA FILGUEIRA SAMPAIO CAMPOS
ITALO MORAIZ SARGENTINI
JACOBUS LAURENS DE JAGER
JARDEL RIBEIRO CARDOSO
JÉSSICA DE OLIVEIRA RIBEIRO
JOÃO PAULO DE SOUZA BARBOSA
JOSÉ YAGO MENDES MACIEL
JUAN EDUARDO RIOS RODRIGUES
KAMILAH PINTO HAUACHE
LARISSA BEZERRA FERREIRA
LUCAS MARTINS GIRÃO
LUCAS VIEIRA PEREIRA DE LUNA
LUIS FERNANDO GAETA DA ROCHA
LUIZA SILVA JOBIM
MATEUS PICANÇO LIMA GOMES
MIGUEL ARCANJO SIMAS NOVO FILHO
NATALY BARROS DOS SANTOS
NATAN LOPES DA CUNHA FILHO
NATASHA CAROLINE CRISTINA S. DE AGUIAR
PAULA ADALIA DANTAS DE CASTRO
PHELLIPE DAOU NETO
VICTOR HUGO OLIVEIRA VALENTE ARAUJO
VITHORIA DOS SANTOS BARBOSA
WALDOMIRO RODRIGUES MAGALHÃES NETO

BÁRBARA A. C. COELHO
BRYAN DELMOND SILVA
CAMILA CHAVES TORRES
CAROLINA DULTRA ABRAHIM
DIEGO BARROS ALBUQUERQUE
IGOR MAKIO BRASIL KAREHIRO
IGOR NUNES SAMPAIO
INGRID JORDANA DABELA DE O. COSTA
IRMA CSASZNIK
ISABELA DOMINIAK SOARES
JULIANY PIRES FIGUEIREDO
LEONARDO DE ALBUQUERQUE HAYASIDA
LUCAS MEDINA AREOSA
LUCAS RODRIGUES DA SLVA SOUZA
MARICELIA DJONE
MATHEUS NAVARRO DANTAS
RODRIGO ABRAÃO DO CARMO
VANESSA SERRA CARNAUBA FEITOZA
VINICIUS S. CARINHENA
VLADIMIR KUUSHYNCHYKAU
WALLACE SILVA SOUZA
WEI TSU HAVIM CHANG COLARES

ADRIEDA RAQUEL GARCIA PINA
AGUINALDO JOSÉ MENDES DE SOUZA FILHO
ALEXANDRE MENEZES DE BARROS
ANA LOUISE ALVES PINHEIRO
ANDRÉ LUIZ CANUTO QUEIROZ
ARTHUR CARTINILHO DAL CORTIVO
ARTHUR YVES PEREIRA
CAIO EDDIE DE MELO ALVES
CARLOS FELIPE SANTANA DA SILVA
CAROLINA CARVALHO TAVARES
CAROLINA SILVA BIZOTTO
ENDYARA ERMINO SARAIVA
ESTEVAM NICOLAU CHEN
GABRIEL SILVA SANTOS GUIMARÃES
HAMILTON GOMES
JÉSSICA CARVALHO DA SILVA
JOEL M. HAMON
JORGE JUNIOR PEDROSA JORDÃO
JOSÉ PAULO GUEDES SAINT CLAIR
KENIT DI DIO ARAGÃO MINORI
LAIANA ROBERTA FERREIRA BARROSO
LAILA BEATRIZ ANDRADE DA SILVA
LAURA FERNANDA MELO NASCIMENTO
LEONARDO SAID VASCONCELOS
LUCAS ALBUQUERQUE ARNAUD DE SOUZA LIMA
LUCAS PRADO CHAGAS
LUCAS XIMENES DE OLIVEIRA
MARCO ANTONIO DA COSTA NASCIMENTO
MARIA JULIANA MONTE
NICOLE BARRETO DE SOUZA
PAULO ROBERTO O. MARTINS
STEPHANCI PIRES COSTA
THATIANNE A. P. MARUYAMA
THIAGO PUCINELLI ORLANDI NOGUEIRA
VICTOR RIPARDO SIQUEIRA
WEI IZAN HACKAN CHANG COLARES

BEATRIZ RODRIGUES MOLLES
ANANDA REIS
BRUNO VIANEI REAL ANTONIO
FELIPE CHADS AZEREDO
GABRIEL REIS DI TOMMASO
ISABELLE GONÇALVES DO ROSÁRIO DIAS
JESSÉ PEREIRA FALCÃO
JOAQUIM KANAWATI NETO
KAIO HENRIQUE PIRES FERRO
LARISSA ROCHA ALMEIDA
MATEUS SEVERIANO DA COSTA
RAFAEL SCHOSSIG NEGREIROS
VICTOR BASTOS DA COSTA

sexta-feira, 24 de setembro de 2010

A caminho do tudo – Parte XXII

A PROCURA DO SANTO GRAAL

Hans Christian Oersted: a corrente e a Bússola


Hans nasceu na ilha dinamarquesa de Langeland. Em pouco tempo aprendeu tudo o que tinha de aprender em sua cidade. Seu pai embora pobre, reconheceu o apetite voraz do rapaz por leitura e conhecimento e conseguiu matriculá-lo na universidade de Copenhague. No começo, Oersted estudou farmácia, até que a fascinação pela física assumiu o comando; ele foi mais tarde nomeado professor titular.

Oersted ouviu falar das recentes descobertas envolvendo a corrente elétrica, inclusive o trabalho pioneiro de Galvani e Volta e logo começou a investigar as propriedades elétricas de ácidos e metais. Em 1820, Oested estava preparando uma preleção com demonstração de efeito, se é que havia, de uma corrente elétrica sobre a agulha de uma bússola. Ele só tivera tempo de investigar uns poucos entre os muitos arranjos possíveis do dispositivo, logo não estava muito seguro dos resultados ao entrar na sala cheia de estudantes. Quando o fio que conduzia corrente foi colocado ao lado e a mesma altura da bússola, não houve efeito nenhum. Mas quando era colocada acima ou abaixo, a agulha da bússola se mexia de repente. O mais intrigante era que a agulha não se alinhava em paralela com o fio, mas em ângulo reto.


Um resultado que ninguém da época poderia ter previsto. Aquela poderia ser, segundo os historiadores a maior descoberta científica jamais feita em uma demonstração, em uma preleção e que poderia ter conseqüências que iam muito além de qualquer coisa que Oersted pudesse ter imaginado. A conexão entre eletricidade e magnetismo, havia tanto suspeitada, estava agora demonstrada, e uma revolução tecnológica logo se seguiria.


Oersted publicou seus resultados em um estudo de quatro páginas em um dos últimos artigos científicos escritos em latim. Experimentos similares logo foram realizados, com o mesmo resultado, em laboratórios de todo o continente. As notícias da descoberta de Oested chegaram em Paris em questão de semanas.


André Marie Ampère, matemático e cientista francês, estava entre o público quando a descoberta de Oested foi anunciada perante a Academia de Ciências. Ampère sentiu-se inspirado para começar as suas próprias pesquisas, os primeiros estudos detalhados de eletrodinâmica. Em pouco tempo, descobriu que os fios condutores de corrente se atraíam ou repeliam mutuamente conforme a direção da corrente. A intensidade da força, mais uma vez, obedecia a uma lei quadrática inversa, exatamente como acontecia com a gravidade e a eletrostática. Uma semana apenas depois de ouvir as noticias da descoberta de Oested, Ampère já estava pronto para apresentar o seu próprio artigo à academia. O físico francês François Arago ficou de boca caída com a rapidez do trabalho de Ampère:

“O vasto campo da ciência física talvez nunca tenha apresentado uma descoberta tão brilhante, concebida, verificada e completada com tal rapidez”.

De volta a Copenhague, Oested foi aclamado como maior cientista dinamarquês desde Tycho Brahe. Apesar de lembrado por sua descoberta, Oested é também um ícone no mundo do ensino: hoje, a mais alta honraria concedida a professores de física nos Estados Unidos é a medalha Hans Chritian Oested, sonho meu, sonho meu...

Mais para o fim da sua vida, ele escreveu uma série de ensaios sobre a harmonia que via entre a beleza e a ciência; ambas, aos seus olhos, eram obras de Deus.

“Espírito e natureza são uma coisa só, observada sob dois aspectos diferentes”, escreveu ele.

Como os gregos antigos, como Kepler e Newton, ele procurou a unidade na natureza. Sua descoberta, encontrar o elo entre a eletricidade e o magnetismo, foi mais um passo gigantesco rumo à Teoria do Tudo.

O avanço seguinte viria de um inglês que foi criado na pobreza porém seguiu em frente até se tornar um dos maiores cientistas britânicos, estou falando de Michael Faraday, nosso papo da próxima sexta... lógico é uma outra história.

Amanhã acordo cedo para ir ao mercado sentir o cheiro da Terra e ao meio dia vou a UFAM encontrar velhos amigos e receber meus queridos gigantes que estão na segunda fase da OBF.

Boa sorte a todos, no fim do dia tem um relato da olimpíada.

OBF 2010 - 2ª Fase



Recebi um e-mail da coordenação geral e estou repassando abaixo com detalhes da 2ª fase. Amanhã posto comentários da realização da prova. Kleber.

OBF 2010 - Informação Urgente‏
De: galileuplanck@uol.com.br
Enviada: sábado, 18 de setembro de 2010 17:13:05
Para: klbastos@hotmail.com

Bom Dia Senhores Professores

Informamos que a realização da 2ª Fase da Olimpí­ada Brasileira de Fí­sica 2010 será¡ realizada no dia 25 de setembro de 2010 na Universidade Federal do Amazonas (Mini Campus) Bloco Paulo Buheimer (Bloco Novo de 2 andares branco ao lado do rastaurante universitário - RU).
A prova dará iní­cio às 13:00 H e término às 17:00 H, portanto é importante a presença dos alunos com pelo menos uma hora de antecedência para a localização de sala.
É obrigatório que o aluno traga um documento com foto para a sua identificação (carterinha de estudante, identidade, passaporte, carteira de trabalho, etc.). Caso contrário o mesmo não poderá realizar a prova.
O aluno deve esta trajando roupas adequadas (calça jeans e camiseta) a sala é um pouco fria, portanto isso deve ser infatizado principalmente as meninas devido a questão das mesma usarem saia no dia da prova.
Haverá monitores em alguns pontos estratégicos para maiores informações e haverá fiscais nas salas de aulas.
Na porta das salas terá uma relação em ordem alfabética com o nome de todos os alunos que participarão da 2ª fase.
No momento da prova será controlada a saida ao banheiro, sendo permitido apenas com o acompanhamento de fiscais que estarão nos corredores.
A sala da coordenação da OBF fica no Bloco B sala 15 (Bloco em frente ao restaurante universitário - RU)
É vedado o uso de calculadoras, bips ou qualquer dispositivo eletrônico.

Estarei lá recebendo vocês.

quinta-feira, 23 de setembro de 2010

IFAM - 101 Anos de existência



No dia 23 de setembro de 1909 nascia a Escola de Aprendizes Artífices do Amazonas, à qual se seguiram as denominações:

Lyceu Industrial de Manaus;
Escola Técnica de Manaus;
Escola Técnica Federal do Amazonas – ETFAM;
Centro Federal de Educação Tecnológica do Amazonas – CEFET;
hoje, Instituto Federal de Educação Ciência e Tecnologia do Amazonas – IFAM.

Sua Habilitação vai da educação superior com cursos de:
Engenharia Mecânica;
Licenciatura nas ciências : Matemática, Física, Química e Biologia;
Tecnologia em diversas áreas como : Construção civil, Industria, Informática, Química e outros.
Educação Profissional com diversos cursos técnicos à alunos do pós-médio e educação integrada à quem ainda não concluiu o ensino médio.

Sinto-me honrado por ter sido acadêmico do curso técnico de Eletrônica concluído em 1986 e hoje professor titular desta instituição de ensino desde 23 de Fevereiro de 1994, já com 16 anos de casa.

Parabéns pelos 101 anos de existência e de história na educação do povo Amazonense.

A termodinâmica do Inferno



O Dr. Schambaugh, professor da escola de Engenharia Química da Universidade de Oklahoma é reconhecido por fazer perguntas do tipo: "Por que os aviões voam?" em suas provas finais. Sua única questão na prova final de maio de 1997 para sua turma de Transmissão de Momento, Massa e Calor II foi:

"O inferno é endotérmico ou exotérmico? Justifique sua resposta."

Vários alunos justificaram suas opiniões baseados na Lei de Boyle ou em alguma variante da mesma. Um aluno, entretanto, escreveu o seguinte:

"Primeiramente, postulamos que se almas existem então elas devem ter alguma massa. Se elas têm, então um mol de almas também tem massa. Assim sendo, o estado termodinâmico do inferno é função da grandeza de seu volume de controle e da taxa do fluxo líquido das almas que passam pelo mesmo.

Eu acho que podemos assumir seguramente que uma vez que uma alma entra no inferno ela nunca mais sai. Por isso não há almas saindo. Para as almas que entram no inferno, vamos dar uma olhada nas diferentes religiões que existem no mundo hoje em dia. Algumas dessas religiões pregam que se você não pertencer a ela, você vai para o inferno. Como há mais de uma religião desse tipo e as pessoas não possuem duas
religiões, podemos assumir que todas as pessoas e almas vão para o inferno.

Daí tem-se que a integral de superfície do fluxo de almas sobre o volume de controle do inferno é negativa o que, de acordo com o teorema da divergência de Gauss implica dizer que a integral de volume da divergência do fluxo de almas com relação ao volume de controle do inferno é também negativa. Com as taxas de natalidade e mortalidade do jeito que estão, podemos esperar um crescimento exponencial das almas no inferno em função do tempo.

Agora vamos olhar a taxa de mudança de volume de controle do inferno. A Lei de Boyle diz que para a temperatura e a pressão no inferno serem invariantes ao tempo, a relação entre a massa das almas e o volume de controle do inferno deve ser constante.

Existem então duas opções:

1 - Se o volume de controle do inferno se expandir numa taxa menor do que a taxa de almas que entram no mesmo, então sua temperatura e pressão vão aumentar até ele explodir.

2 - Se o volume de controle do inferno estiver se expandindo numa taxa maior do que a da entrada de almas, então a temperatura e a pressão irão baixar até que o inferno se congele.

Então, qual das duas?
Se nós aceitarmos o que Theresa Manyam me disse no primeiro ano: "haverá uma noite fria no inferno antes que e eu me deite com você", e levando em conta que ainda NÃO obtive sucesso na tentativa de me deitar com ela, então a opção 2 não é verdadeira.
Por isso, o inferno é exotérmico."

O aluno Tim Graham tirou o único A na turma.

quarta-feira, 22 de setembro de 2010

Ilusão de Óptica

As ilusões de ótica indicam uma segmentação entre a percepção de algo e da concepção desta outra realidade.

As ilusões causam surpresa quando são percebidas de formas diferentes e até um certo tipo de divertimento.

As ondas de luz penetram no olho então entram em celas de foto receptiva na retina. A imagem formada na retina é plana, contudo, percebemos forma, cor, profundidade e movimento. Isso ocorre porque nossas imagens de retina, se em uma imagem 2D ou 3D, são representações planas em uma superfície encurvada. Para qualquer determinada imagem na retina, há uma variedade infinita de possíveis estruturas tridimensionais.

Algumas ilusões trabalham exatamente no fato de sermos juntamente com os macacos os únicos seres que percebem a noção de largura,altura e profundidade; uma das explicações para este fato é que temos os olhos na frente da cabeça e não dos lados como na maioria dos animais.
A percepção que uma pessoa tem do mundo exterior de seu olho não depende apenas do órgão da visão, mas também de suas emoções, seus motivos, suas adaptações, etc. A Psicofísica estuda estas percepções e mostra que o mesmo estímulo físico pode produzir percepções muito variadas.


TIPOS DE ILUSÃO DE ÓTICA

Ambíguas



As imagens ambíguas, sempre contém mais de uma cena na mesma imagem.
Seu sistema visual interpreta a imagem em mais de um modo. Embora a imagem em sua retina permaneça constante, você nunca vê uma mistura estranha das duas percepções sempre é uma ou a outra.



Escondidas



São imagens que a primeira vista não apresentam nenhum significado, mas depois de observar você irá se surpreender. Encarando a figura, movimente-se, aproximando-se e afastando-se da mesma.


Letras



Nossos olhos realmente nos enganam, aqui você descobrirá várias formas e tipos de letras que enganam nossa vista. Olhe abaixo e diga as CORES, não as palavras...

Conflito no cérebro: o lado direito do seu cérebro tenta dizer a cor, enquanto o lado esquerdo insiste em ler a palavra.

Arte



São obras publicadas de artistas consagrados com maravilhosas ilusões de óptica.

Visão em 3D

A visão em três dimensões (ou esterioscópica) depende muito do fato de possuirmos dois olhos (visão binocular). Você pode verificar que, ao fechar um de seus olhos, perderá grande parte da noção das distâncias entre os objetos. Isso ocorre porque os dois olhos captam a imagem do mesmo objeto de posições diferentes, devido à distância entre os olhos. Essas duas imagens são superpostas no cérebro, o que dá a sensação de 3D.

Fig. 1 - peixes saltando

Fig.2 - Formigas

Fig.3 - Rosa

Fig.4 - esfera cavada

Fig. 5 - Descubra....é a melhor !

terça-feira, 21 de setembro de 2010

As 10 + do Enem - A política externa



Direto ao ponto: Ficha-resumo

Dois países continuarão em destaque, regendo a sinfonia econômica do planeta: Estados Unidos e China. Deles dependem não somente a recuperação das finanças globais como os acordos referentes à diminuição da emissão de gases causadores do efeito estufa, cujas metas foram deixadas em aberto com o fracasso da Conferência das Nações Unidas sobre Mudanças Climáticas, realizada em dezembro de 2009.

Na América Latina, a política estará em foco, sobretudo no Brasil, com as eleições presidenciais e o início da era pós-Lula. Mas, antes disso, os olhares do mundo se voltarão para a África do Sul, que sediará o principal evento internacional do ano, a Copa do Mundo da Fifa.

Fim da "obamania"

O ano de 2010 será particularmente delicado para o presidente americano Barack Obama. Passada a euforia da eleição do primeiro presidente negro dos Estados Unidos, o democrata precisará colocar as finanças domésticas em ordem, administrando um rombo bilionário por conta dos empréstimos que salvaram instituições financeiras e a indústria automobilística durante a crise econômica.

Na política externa, precisará cumprir metas que visam encerrar duas guerras, no Afeganistão e no Iraque, iniciadas há quase uma década pelo antecessor, o ex-presidente George W. Bush. No Iraque, este ano será de desocupação e entrega definitiva do governo aos iraquianos, enquanto que, no Afeganistão, a aposta é no reforço de efetivo para fortalecer as autoridades locais contra os talebans.

Soma-se a isso a queda de popularidade de Obama, que tinha um índice de aprovação de 70% no começo de 2009 e que, hoje, bate na casa dos 50%. A insatisfação de metade da população com promessas não cumpridas e falta de ações mais enérgicas deve refletir nas eleições parlamentares em novembro. Apesar de fechar 2009 com a sanção do projeto de reforma do sistema de saúde, o presidente corre o risco de perder este ano a maioria na Câmara dos Deputados, o que pode complicar seus dois últimos anos de governo. Já no Senado americano, são poucas as chances de os democratas saírem derrotados.

Dragão chinês

A China, em 2010, vai se tornar a segunda maior economia mundial, ultrapassando o Japão, além de, pela primeira vez, gerir 10% das exportações no comércio internacional. Depois de se recuperar da crise econômica mais rápido que outros países desenvolvidos, a China manterá a taxa de crescimento apenas um pouco menor que os 10% anuais que vinha registrando nas últimas três décadas. Nesse ritmo, especialistas preveem que ultrapasse os Estados Unidos em vinte anos (a mesma previsão era feita sobre o Japão nos anos 1980, antes que o país entrasse em recessão nos anos 1990).

Na política, o Partido Comunista Chinês vai tirar o máximo de vantagens da "Exposição Mundial", evento internacional realizado desde o século 19 e que este ano será em Xangai. Enquanto isso, o presidente Hu Jintao prepara suas substituições na liderança do partido, em 2012, e na Presidência, em 2013.

Contudo, a face mais dura do regime comunista será posta à prova em negociações com os Estados Unidos, em torno dos temas economia e mudanças climáticas, e, internamente, frente à tensão com minorias étnicas no Tibete e em Xinjiang, palcos de revoltas nos dois anos anteriores. O governo já se previne contra novas ondas de protestos, em especial no mês de outubro, quando será lembrado o aniversário de 60 anos da invasão do Tibete pela China.

Pós-Lula

No caldeirão da América Latina, a fervura será política, com destaque para as eleições presidenciais de outubro no Brasil. Será a primeira vez, desde o retorno das eleições diretas em 1989, que Luiz Inácio Lula da Silva ficará fora da disputa. O ex-metalúrgico perdeu três eleições para presidente e está no poder desde 2003, em dois mandatos consecutivos (veja filme indicado abaixo). Ele possui uma aprovação recorde da população brasileira, amparada pela estabilidade econômica do país e a despeito dos escândalos de corrupção em seu governo.

Os candidatos com maiores índices de intenção de votos são: o governador de São Paulo, José Serra (PSDB), e a chefe da Casa Civil, Dilma Roussef (PT). Serra tem maioria no Estado de São Paulo, maior colégio eleitoral do país, ao passo que a eleição de Dilma depende da capacidade de Lula de transferir para ela sua popularidade.

O ano eleitoral deverá ainda interferir em uma das decisões mais importantes do Congresso em 2010, sobre o marco regulatório da exploração do petróleo descoberto na camada pré-sal. A comemoração dos 50 anos de Brasília também colocará em evidência a capital do país.

Outras eleições importantes ocorrem em países da América Latina, no ano em que se comemoram dois séculos de independência da América Espanhola. Para o presidente da Venezuela, Hugo Chávez, 2010 será decisivo para testar sua influência na região. Disso depende a condução da economia do país e o preço do petróleo, que financia o socialismo "bolivariano" de Chávez, além dos resultados das eleições parlamentares em setembro.

Mudanças devem ocorrer no Chile, onde a direita tem chances de retornar ao poder depois de quase duas décadas fora dele, com Sebastián Piñera, que concorre à Presidência no segundo turno, disputado em janeiro. Na Colômbia, o desenlace das eleições presidenciais depende de uma decisão da Corte Constitucional sobre um referendo que permita mudar a Carta, para que o presidente Álvaro Uribe, desde 2002 no cargo, concorra a um terceiro mandato. Caso seja candidato, são grandes as chances de vitória.

Chantagem atômica

Em segundo plano, a Europa amarga uma taxa de desemprego que, estima-se, deve atingir uma marca histórica de 10%, o que corresponde a cerca de 57 milhões de desempregados na UE (União Europeia). A economia em ritmo lento deve dar vazão a políticas protecionistas dos mercados internos, incluindo medidas restritivas à imigração, além de protestos de rua. Mas os 27 países integrantes da UE começam o ano com novas regras, definidas pelo Tratado de Lisboa, que pretende, na prática, conferir maior representatividade ao bloco.

Na Europa Oriental, as disputas energéticas, como a que opôs Rússia e Ucrânia em 2009e deixou boa parte da Europa sem gás em pleno inverno, deverão ter novos capítulos.
Entretanto, é no Oriente Médio que estarão alguns dos maiores nós da diplomacia em 2010. O Irã, mais uma vez, será o centro das atenções. Além do desgaste político com as revoltas de parte da população, a insistência em levar adiante o programa nuclear sem a fiscalização da Organização das Nações Unidas (ONU) poderá levar a um conflito com Israel, caso sanções econômicas não surtam efeito.

Assim como a Coreia do Norte, que insiste em fazer testes com armas nucleares, o Irã também se coloca na contramão de debates sobre o desarmamento nuclear que ocorrerão em 2010. Na Coreia do Norte, continuarão ocorrendo especulações sobre o estado de saúde do líder Kim Jong-il, que nos bastidores prepara sua sucessão no poder. Longe da diplomacia oficial, as duas Coreias - Norte e Sul - irão medir forças pela primeira vez numa mesma Copa do Mundo, no ano em que lembram o centenário da ocupação japonesa.

Em 2010, Estados Unidos e China continuam em evidência. Dos dois países depende a lenta recuperação econômica global em consonância com uma política que previna o mundo dos efeitos catastróficos da mudança climática. Mas o ano também será de países emergentes como o Brasil, que realiza em outubro a primeira eleição presidencial desde 1989 sem a participação do presidente Luiz Inácio Lula da Silva, cuja aprovação é recorde. E, além disso, será um ano de Copa do Mundo, realizada na África do Sul.

segunda-feira, 20 de setembro de 2010

O que falta é só atitude....



Se você é um daqueles alunos que encontrou alguma dificuldade com a disciplina de física desde o início do ano, não se preocupe, "seus problemas se acabaram-se"! Segue abaixo "totalmente de grátis" 10 dicas sobre como se recuperar na etapa final e tirar aquelas notas incríveis e completamente azuis! E mais: você ainda ganhará "totalmente de brinde" algumas dicas para superar aquelas pequenas dificuldades matemáticas!

Faça todas as tarefas: você já deve ter percebido que aquela tarefa que você copiou e não fez acabou lhe fazendo falta na hora da prova, certo? Então deixa de moleza e começe a fazer as suas tarefas;

Estude pelo livro didático: sim, aquele livro foi feito para você estudar os temas que aparecem escritos lá! Incrível, não? O livro didático lhe permite revisar os conteúdos da aula e ainda trás alguns conteúdos "novinhos" que você poderá discutir com o professor;

Problemas com a matemática?: se aquelas "fórmulas esquisitas" lhe parecem realmente esquisitas, não se desespere. Primeiro leia a teoria do livro, veja o significado de cada letra que aparece nas fórmulas e acompanhe a resolução dos exercícios de exemplo que o próprio livro fornece. Compare com o que estudou em classe e tente resolver os problemas. Evite usar calculadoras (elas são práticas para quem tem que fazer muitas contas, mas são péssimas para quem não sabe fazer contas);

Recorra ao professor sempre: sim, nós professores recebemos dinheiro todo mês para que dediquemos um tempo especial para tirar suas dúvidas e ajudá-lo a compreender os conceitos e a fazer suas tarefas! Recorra ao professor sempre que não tiver compreendido completamente qualquer assunto;

Use o seu caderno para estudar: ele não serve apenas para fazer desenhos, tirar folhas para fazer aviozinhos ou bolinhas de papel. Faça resumos, esquemas, anote dúvidas, resolva exercícios do livro ou que o professor passou em classe;

Use a internet para estudar: complemente seu estudo pesquisando na internet os assuntos estudados em classe. Vai no klato2010@hotmail.com. Se não souber como fazer isso, pergunte ao professor!

Reuna a turma para estudar: procure formar um grupo de estudo. Várias cabeças pensam melhor do que uma só. Mas lembre-se de que a reunião é para estudar e não para jogar conversa fora apenas, ok?

Dedique um tempo semanal para estudar: pelo menos duas horas para estudar os assuntos de física da semana já são suficientes. Não deixe de estudar em nenhuma semana e, preferencialmente, estude os assuntos da aula no próprio dia em que teve aula. Não acredite que uma "estudadinha de véspera de prova" vá resolver... Não resolve;

Não falte às aulas: se já não é fácil compreender bem a matéria quando você está lá, na sala de aula, imagine então como será se tiver que estudar sozinho. Evite faltar às aulas e, se precisar faltar, consulte seus colegas de classe e coloque todos os assuntos estudados em dia;

Dedique sua atenção às aulas: se você está tendo dificuldades para compreender os assuntos estudados, preste muita atenção nas explicações do professor, faça perguntas, peça ajuda aos colegas na hora de resolver os exercícios e recorra ao professor sempre que não conseguir fazer sua tarefa.

Com essas dicas e um pouquinho de "atitude" você poderá ter um final de ano azulzinho e até mesmo divertido. Não deixe para tentar salvar seu pescoço apenas na recuperação. Começe já a fazer corretamente aquilo que não tem feito. Tenha fé em si mesmo e coragem para encarar o sucesso!

domingo, 19 de setembro de 2010

A semana na Ciência

A semana 1 - O Rio Negro morre de sede


Longas estiagens são características ambientais da região Norte do Brasil durante o inverno. Este ano, no entanto, tal situação saiu da normalidade e o que se vê é a maior seca desde 1963. Em Manaus, por exemplo, o atual nível da água do rio Negro é de 19,64 metros – em junho do ano passado, deu-se o inverso, e registrou-se a maior cheia da história: 29,71 metros. Pelo excesso de chuva ou falta dela pagam as comunidades que estão isoladas: de acordo com a Defesa Civil, três mil pessoas no interior do Amazonas estão incomunicáveis. O baixar das águas também revelou que os rios da região estão muito mais poluídos do que se imagina – mal que hoje afeta os quatro cantos do País.

A semana 2 - Comer com os olhos

video

Cientistas descobrem que peixe capaz de acertar insetos com jato d'água tem sistema visual parecido com o dos humanos.


O peixe-arqueiro é conhecido pela capacidade de lançar um esguicho pela boca que pode acertar um inseto fora da água. A precisão e a força são tamanhas que derrubam a presa e garantem a refeição do Toxotes jaculatrix, nome científico da espécie. Pesquisadores de Israel descobriram que uma das razões para essa habilidade é o fato de o arqueiro ser dotado de uma visão até então associada apenas aos mamíferos. Testes mostraram que eles enxergam algo que destoa da paisagem – como uma barra na horizontal sobre um fundo de listras verticais, por exemplo. O estudo foi publicado na semana passada na revista científica americana “PNAS”.


Nos humanos e demais mamíferos, a atenção visual é atraída por estímulos que sobressaem no ambiente, como orientação do objeto (vertical, horizontal, diagonal), cores e movimento. Essa função é facilitada pela organização do córtex visual, parte do nosso cérebro conhecida pela tarefa de enxergar. O curioso é que os peixes não possuem córtex. Ainda assim, são capazes de enxergar os insetos fora da água. “A experiência não ajuda a entender o cérebro deles em si, mas indica que alguns processos óticos são similares aos encontrados em mamíferos”, afirma Ohad Ben-Shahar, líder do estudo. Ele diz, no entanto, que as evidências sugerem que circuitos parecidos com os nossos podem ser encontrados também no pequeno cérebro daqueles animais.

Para chegar a essa conclusão, Ben-Shahar e seus colegas submeteram cinco peixes-arqueiros a uma série de testes. Num deles, uma barra na posição vertical e outra na horizontal eram exibidas num monitor acima do aquário durante dois segundos. O plano de fundo variava entre faixas em um ou no outro sentido. Quando a posição da barra destoava do fundo, eles lançavam a água justamente sobre ela.
A especulação mais óbvia é que esse recurso seria fruto de um ancestral comum entre homem e peixe. “Não é possível afirmar isso”, diz Ben-Shahar. “No entanto, parece que esse tipo de processamento é um aspecto tão crítico para a informação visual que mesmo espécies tão diferentes o possuem.” O elo continua perdido.

A Nasa vai ao Sol

Com o objetivo de desvendar enigmas e mistérios sobre os fenômenos solares, a agência espacial americana lança projeto para enviar uma nave ao astro em 2018


Já se passaram quase 50 anos desde que o homem se aventurou fora do planeta Terra pela primeira vez. Fomos à Lua, mandamos sondas para vários planetas do sistema solar, mas o astro central ainda permanece cercado de mistérios. Não é para menos. Não é fácil se aproximar do Sol, cuja temperatura varia entre seis mil e 15 milhões de graus Celsius e fica a cerca de oito anos-luz (por volta de 150 milhões de quilômetros) de distância do nosso planeta.

A Nasa, agência espacial americana, resolveu encarar o desafio e vem desenvolvendo tecnologias para chegar o mais perto possível do astro. Coroou esse processo na semana passada, quando lançou o programa Solar Probe Plus, que enviará uma espaçonave não tripulada ao Sol em agosto de 2018. Do tamanho de um carro pequeno, a máquina será capaz de chegar a uma distância de 6,5 milhões de quilômetros da superfície solar e poderá fazer avaliações mais precisas da atmosfera do astro. É a primeira vez que o homem manda uma nave para uma estrela.

Para colocar os instrumentos de medição o mais próximo possível do Sol, a Nasa desenvolveu uma espaçonave que suporta temperaturas de até 1.400 graus Celsius. Feita de carbono e equipada com painéis solares, ela é uma espécie de laboratório móvel e possui sensores para medir a radiação e fazer contagens do número de elétrons, prótons e íons de hélio.

Muito do que se conhece do Sol é baseado no comportamento de outros corpos similares, já que o astro é apenas um dos 200 bilhões de estrelas da Via Láctea. Com esse método, os cientistas sabem, por exemplo, que o Sol não vai explodir em uma nuvem de poeira nos próximos milhões de anos, mas não conseguem prever se a radiação vai aumentar nas próximas décadas. “Sabemos qual será a trajetória do astro a longo prazo, mas os detalhes não temos como prever, porque não sabemos o suficiente sobre ele”, afirma o pesquisadordo do Observatório Nacional Victor D’Ávila.

O que se sabe é que a estrela responsável pela vida na Terra sofre variações no seu campo magnético a cada 22 anos. Mas essas variações não são estáveis, sendo que a quantidade de manchas solares que aparece em cada ciclo varia de maneira aleatória. Quanto mais manchas solares, maior é a radiação emitida pelo Sol e, consequentemente, maior a temperatura na Terra. “No século XVII, por exemplo, tivemos um ciclo que praticamente não teve manchas solares. A consequência foi uma espécie de míni era glacial na Europa”, conta D’Ávila.

Ao se aproximar do Sol e fazer medições na atmosfera, a Nasa espera descobrir como são formadas as manchas solares, o que pode contribuir para a previsão de fenômenos climáticos na Terra. Além disso, a agência espera diagnosticar se o diâmetro do Sol está variando. Outro mistério são os chamados ventos solares – fenômenos que ocorrem quando a parte da atmosfera solar se projeta para o espaço – e que só puderam ser medidos recentemente. Os cientistas ainda não sabem como isso acontece, mas conseguiram detectar que existe uma zona em volta do Sol que possui temperatura mais elevada do que a da superfície. O porquê desse fenômeno é outro enigma para a missão desvendar.

Para responder a essas questões, os americanos estão dispostos a desembolsar. Começam gastando US$ 180 milhões, custo estimado para design, desenvolvimento e testes da nave.

sexta-feira, 17 de setembro de 2010

A caminho do tudo – Parte XXI

A PROCURA DO SANTO GRAAL

Eletricidade e Magnetismo: uma sutil conexão


Oia nós aqui de novo...desta vez para tratar do Eletromagnetismo, vamos lá.

Havia algo no ar e não era a secura deste verão que suspeitava de algum tipo de conexão , alguma ligação entre a eletricidade e o magnetismo. Mas tudo o que se tinha era motivo de piada. Contasse um “causo” que um relâmpago atingiu a cozinha de um mercador inglês e depois que a poeira assentou, pasmem senhores, ele descobriu que algumas facas e colheres tinham o poder de pegar pregos e outros pequenos pedaços de ferro: tinham ficado magnetizadas.


O americano Benjamim Franklin empinado um papagaio de papel durante uma tempestade de raios sentiu na pele esta ligação.

Mas a eletricidade é um assunto escorregadio: não se pode estudar o que não se pode armazenar, a as cargas elétricas costumam se dissipar antes que possam ser medidas e analisadas. Durante muitos anos, o único modo de armazenar uma carga elétrica era com uma garrafa inventada por Leyden, um recipiente selado de vidro e revestido de metal. Os primeiros caras a examinar as cargas quantitativamente deram início ao estudo da eletrostática, as forças entre as cargas estacionárias. Eles logo se deram conta de que havia dois tipos de cargas; nós chamamos simplesmente de positivas e negativas. Constatou-se que as cargas opostas se atraiam mutuamente, ao passo de que se fossem iguais iria haver uma repulsão entre elas.


Em pouco tempo se descobriu que uma lei quadrática inversa governava a intensidade da força entre as cargas. Quem descobriu? Coulomb, Charles Coulomb, cientista francês. Olha, pesquisando descobri que Joseph Priesley um químico metido com o estudo dos gases, descobriu a mesma lei mais ou menos no mesmo tempo.

O avanço seguinte veio, como as vezes acontece na ciência, por acidente. Luigi Galvani tocou a perna de um sapo dissecado com uma carga elétrica e observou uma contração violenta. Ele pensou ser coisa do demônio, digo, efeito originado do tecido orgânico do animal, mas na verdade...não era o capeta mais sim o sal dentro do tecido, em combinação com os eletrodos de metal de Galvani.


Outro carcamano, digo italiano que não era o Toto, deu o passo seguinte. Ele produziu a pilha voltaica, uma pilha de camadas alternadas de prata, zinco e papelão que, quando colocada em um circuito elétrico, produzia uma corrente contínua de eletricidade. Viva Alessandro Volta, chegou a energia elétrica e com ela a luz. O estudo quantitativo da corrente elétrica tinha começado. Grande homem, ainda hoje falo seu nome na unidade de tensão elétrica.

O imperador Napoleão, sentiu a promessa nessa série de descobertas,exigiu mais pesquisas, dando grana nas descobertas dos estudos avançados da eletricidade. O galvanismo levará a grandes descobertas, declarou Bonaparte. Dito e feito mais se passaram 20 anos para que outra descoberta do acaso iluminasse o elo entre o magnetismo e a eletricidade.

Mais esta é uma outra história... até sexta senhores com a vida de Oersted o homem da bússola.